Parque Yves Ota

O Parque Yves Ota será na rua Ibiúna, s/n, entre os Jardins Leocádia, Morumbi I, II, III e IV e Iguatemi.

Contará com uma academia ao ar livre em área de 100 m², uma pista de skate com 195,17 m² e pista de caminhada em concreto com 216,60 m². Será implantado uma infraestrutura para o esporte educacional, a fim de atender, sobretudo, munícipes daquela região da cidade.

Cada academia conta com um conjunto de seis aparelhos: esqui, que aumenta a flexibilidade dos membros inferiores e melhora a função cardiorrespiratória; simulador de caminhada – responsável pelo aumento da mobilidade e desenvolvimento da coordenação motora; surf, aparelho que melhora a flexibilidade dos membros inferiores. Também tem o simulador de cavalgada – que fortalece a musculatura dos membros inferiores e superiores, aumentando a função cardiorrespiratória; aparelho de pressão de pernas, que fortalece a musculatura das coxas, da perna e dos quadris; e o multiexercitador, no qual são trabalhados pernas e braços, no desempenho de flexões.

A pista de skate terá acabamento com argamassa de alta resistência, composta de agregados minerais de alta dureza (granilite), em tom cinza claro. Já a pista de caminhada deverá ser executada em concreto, com espessura de 7 centímetros e juntas de dilatação. Está previsto ainda o plantio de grama esmeralda no entorno da pista de skate, da academia ao ar livre e da pista de caminhada.

Em 30 de agosto de 1997, Yves Ota, de 8 anos, foi covardemente assassinado com dois tiros pelos seus três sequestradores, dentre os quais dois ex-seguranças de seu pai, o comerciante Massataka Ota. O sequestro aconteceu na Zona Leste de São Paulo, no dia anterior à morte, e os acusados foram depois condenados. O caso gerou repercussão nacional e o casal criou um instituto que leva o nome do filho. A ONG realiza palestras e oferece orientação às crianças, jovens e famílias vítimas da violência.